Nossa pedra no sapato

Stéphane em ação contra a Venezuela neste domingo

Stéphane em ação contra a Venezuela neste domingo

Um fantasma surgido em 2008 voltou a assombrar a seleção brasileira na decisão do bronze nos Jogos Sul-Americanos: a Venezuela. Naquele ano, uma derrota inesperada tirou do Brasil a chance de conquistar o 3º lugar, que ficou com o Uruguai. Neste domingo, tudo parecia perfeito para o time canarinho: Stéphane abriu o placar aos 19 minutos e deixou a seleção em vantagem no 1º tempo. Aos 2 minutos do 2° tempo, Yuri ampliou. E foi assim até quase 20 minutos da segunda etapa. Foi quando os problemas começaram. Andy Herrera diminuiu em jogada de short corner. Apenas 5 minutos depois, Cristian Prado empatou o jogo em Santiago. Se o empate já era ruim, no último minuto tudo ficaria pior: Andy Herrera, em outra jogada de short corner, deu a vitória à Venezuela e a medalha de bronze nos Jogos Sul-Americanos.

Chris lamentou a perda da medalha de bronze em Santiago

Chris lamentou a perda da medalha de bronze em Santiago

Nas redes sociais, os atletas brasileiros não esconderam a decepção pelo resultado. Chris McPherson disse que ainda estava sem palavras mas agradeceu ao apoio da torcida e que esse era um tempo de tirar lições para que isso nunca mais aconteça. França escreveu que não sabe dizer o que aconteceu em Santiago, mas que continuaria a caminhada. Mesquita pediu desculpas e que o melhor não foi o bastante para voltar ao país com a medalha de bronze. Batemos na trave, mas os resultados durante o torneio mostram que o Brasil está no caminho em relação ao maior objetivo: uma vaga nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

Meninas vencem e se garantem na disputa do bronze

Noortje disputa a bola com atleta da Venezuela

Noortje disputa a bola com atleta da Venezuela

A seleção feminina garantiu antecipadamente uma vaga na disputa da medalha de bronze nos Jogos Sul-Americanos. O time comandando por Eduardo Martins Jr. venceu a Venezuela por 2 x 1 e chegou à segunda vitória na competição. Com 6 pontos, as brasileiras não podem mais ser alcançadas por venezuelanas e paraguaias. Nosso primeiro gol saiu aos 13 minutos, com Paty Boos. Quatro minutos depois, a atleta do Desterro marcou o segundo dela no jogo.

Patricia Boos marcou duas vezes contra a Venezuela

Patricia Boos marcou duas vezes contra a Venezuela

A Venezuela tentou reagir no 2º tempo, mas só conseguiu marcar a 6 minutos do fim, com Stephanie Hernandez. Três brasileiras foram advertidas com cartões: Juba levou um verde e Anita e Laís receberam um cartão amarelo cada. As meninas voltam a campo neste sábado contra a Argentina, grande favorita ao título em Santiago. A disputa do bronze, que vai ser contra Chile ou Uruguai, acontece no domingo às 13h45.

Anita mostrou muita garra em campo como sempre

Anita mostrou muita garra em campo como sempre

A batalha de Santiago

Matheus marcou o gol brasileiro pela World League em 2013

Matheus marcou o gol brasileiro pela World League em 2013. Foto: CBHG

Sexta-feira, dia 14. 20h. Anote essa data e horário na agenda, já que pode ser um dia histórico para o hóquei brasileiro. Com três vitórias e uma derrota para a fortíssima Argentina, a seleção masculina entra em campo para enfrentar o Chile pela última rodada da fase classificatória dos Jogos Sul-Americanos. Uma vitíória daria à equipe uma inédita vaga na final em competições internacionais. O desafio é grande: nunca vencemos o Chile na história e “Los Diablos” contam com a força da torcida jogando em Santiago. Mas superação vem sendo a marca do time canarinho nas competições recentes.Vencer o Chile é um grande desafio, mas não impossível.

Lobinho combate chileno na World League em 2013

Lobinho combate chileno na World League em 2013. Foto: CBHG

Quero voltar há cerca de um ano atrás, no dia 3 de março de 2013. Naquele dia, a seleção masculina entrava em campo em Deodoro contra o Chile, pela World League. E vi uma grande atuação da seleção no calor da zona oeste carioca. Nos defendemos bem, atacamos e seguramos o placar em 0 x 0 até os 27 minutos do 2º tempo, quando os chilenos abriram o placar. O time sofreu o baque e acabou levando mais dois gols em apenas 7 minutos. Mas ainda teve força para marcar no último minuto com Matheus numa jogada de short corner. Os 3 x 1 no placar não fizeram justiça à atuação brasileira e encheu de esperanças o torcedor para os jogos seguintes contra o Chile. A oportunidade chegou. Uma vitória – nem que seja por meio a zero – daria toda a visibilidade que o hóquei brasileiro precisa e representaria um passo gigantesco rumo às Olimpíadas de 2016. Eu acredito. Que a energia de todo os amantes do hóquei cruze os Andes e impulsione nossos atletas – e amigos – na grama sintética de Santiago. Guerreiros, preparem-se: a batalha de Santiago vai começar.

A primeira vitória

Meninas comemoram gol na vitória sobre as paraguaias

Meninas comemoram gol na vitória sobre as paraguaias

Depois de um início de campeonato difícil, a seleção brasileira conseguiu a primeira vitória nos Jogos Sul-Americanos, em Santiago. O time de Eduardo Martins Jr. derrotou o Paraguai por 3 x 1, com gols de Laís, Paty Boos e Juba. Com o resultado, as meninas chegaram aos primeiros 3 pontos na competição e agora ocupam a 4º posição. O primeiro gol verde e amarelo saiu aos 19 minutos, com Laís em jogada de short corner. Dois minutos depois, Paty ampliou para a seleção e o 1º tempo terminou com o Brasil em vantagem. Aos 10 minutos da segunda etapa, Gianina Zambrini descontou para o Paraguai, mas no último minuto de jogo Juba marcou o terceiro e garantiu a vitória brasileira. As meninas enfrentam a Venezuela nesta quinta-feira, às 18h, em um jogo chave para as pretensões de disputar a medalha de bronze.

Anita em ação contra o Paraguai nesta quarta-feira

Anita em ação contra o Paraguai nesta quarta-feira

 

Diferença está diminuindo

Lucas marcou o gol brasileiro contra a Argentina

Lucas marcou o gol brasileiro contra a Argentina

Há 7 anos, o Brasil perdia por 19 x 0 para a Argentina nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. Desde então, os placares foram diminuindo e nesta terça-feira a diferença foi a menor na história do confronto entre as seleções: 6 x 1 para os hermanos pela 3ª rodada dos Jogos Sul-Americanos. A seleção brasileira segurou o placar até os 11 minutos, quando Gonzalo Peillat marcou o primeiro em jogada de short corner. 6 minutos depois ele marcou o segundo e ainda na primeira etapa Agustin Mazzilli anotou o terceiro.

Yuri tenta jogada na derrota para os argentinos

Yuri tenta jogada na derrota para os argentinos

Logo no comecinho do 2º tempo, Alan Andino marcou o quarto da Argentina e Aguilleiro fez o quinto aos 16 minutos. Pouco depois, Lucas Paixão descontou para a seleção brasileira. Quase no fim, Guillermo Schickendantz deu números finais ao placar. O Brasil volta a campo amanhã às 14h contra a Venezuela, um jogo muito importante para o objetivo da seleção de sair com uma medalha de Santiago.

Um bom 1º tempo em Santiago

Mayara tenta jogada na partida contra as chilenas

Mayara tenta jogada na partida contra as chilenas

A seleção feminina perdeu a segunda partida nos Jogos Sul-Americanos, em Santiago, e segue sem marcar gols na competição. As meninas foram derrotadas por 5 x 0 pelas donas da casa, as chilenas. O time de Eduardo Martins Jr. fez um bom 1º tempo, resistindo à pressão e segurando o placar em 0 x 0. O primeiro gol do Chile só saiu 8 minutos da segunda etapa, com um gol de Denise Krimerman. Os três gols seguintes saíram em um intervalo de apenas sete minutos: Camila Caram marcou duas vezes e a zagueira Paula Saieh fez um. A três minutos do fim da partida, Denise Krimerman voltou a marcar e deu números finais ao jogo.

Anita mostra muita garra no jogo contra o Chile

Anita mostra muita garra no jogo contra o Chile

A partida só teve um cartão, um amarelo para a brasileira Mayara. A única atleta que não entrou em campo foi a goleira Bella. A seleção volta a campo nesta quarta-feira, às 10h, contra o Paraguai. Os confrontos entre as duas equipes costumam ser equilibrados e a esperança é grande para a primeira vitória das meninas nos Jogos Sul-Americanos.

A zagueira Thayse em disputa de bola com uma chilena

A zagueira Thayse em disputa de bola com uma chilena

Largada perfeita

Lucas comemora gol contra o Uruguai na estreia

Lucas comemora gol contra o Uruguai na estreia

Se os Jogos Sul-Americanos fossem uma corrida de Fórmula 1, a seleção masculina teria feito uma largada perfeita, ultrapassando vários carros em Santiago. Foram duas vitórias nas duas primeiras partidas, com 10 gols marcados e apenas 2 contra. O melhor início de uma competição internacional na história da seleção. O primeiro triunfo foi contra nossos principais rivais no continente, os uruguaios. Lucas Paixão, que tinha acabado de entrar na partida, abriu o placar numa jogada ensaiada de short corner. Quatro minutos depois, Mesquita ampliou para o Brasil. A resposta uruguaia veio apenas um minuto depois, com Gastón Turnes. Mas a seleção brasileira controlou a partida no 2º tempo e segurou o placar na capital chilena.

A seleção goleou o Peru na segunda partida em Santiago

A seleção goleou o Peru na segunda partida em Santiago

O segundo jogo foi contra os peruanos, que tínhamos goleado por 4 x 1 no Campeonato Sul-Americano de 2013. Os adversários abriram o placar logo aos 4 minutos de jogo, mas a esperança de uma revanche contra o Brasil desapareceu em pouco tempo. Logo 5 minutos depois, Matheus igualou o placar. E o que se viu na sequência foi um massacre brasileiro em Santiago. Stéphane marcou três, Ernst fez dois, e Lucas e Fabian marcaram um gol cada. 8 x 1 – a maior goleada no confronto entre as duas equipes e esperança renovada de mais uma medalha internacional para o Brasil. A seleção volta a campo nesta quarta-feira (11) contra a forte equipe argentina, favorita ao ouro em Santiago.

Vitória sobre os uruguaios na estreia nos Jogos Sul-Americanos

Vitória sobre os uruguaios na estreia nos Jogos Sul-Americanos

Ernst marcou três gols e Stephane anotou dois contra o Peru

Dupla goleadora: Stephane marcou três e Ernst  anotou dois gols contra o Peru