Desafio Social Internacional leva o hóquei de volta a Deodoro

WhatsApp Image 2017-05-05 at 07.18.11

Brasileiras e argentinas juntas em Deodoro

Mais de 8 meses depois do fim das Olimpíadas Rio 2016, o Centro Olímpico de Hóquei em Deodoro, na zona oeste carioca, voltou a ver a bolinha rolando. Até então sem utilização para o esporte, o complexo recebeu na última quinta-feira (4) o Desafio Social Brasil x Argentina, organizado em uma parceria do Projeto Deodoro Esporte, do professor argentino Eduardo Righi, Universidade Castelo Branco e Exército Brasileiro. Participaram da competição o Clube Charitos, campeão da Liga Social da província argentina de Neuquén e os colégios Percepção, Triângulo, Colégio de Aplicação Paulo Gissoni, Escola Municipal Rosa da Fonseca, Sistema Elite de Ensino e Universidade Castelo Branco.

WhatsApp Image 2017-05-05 at 07.18.14.jpeg

Meninas da E.M Rosa da Fonseca

Os jogos começaram na terça-feira (3), com o time adulto do Charitos enfrentando na quadra da Universidade Castelo Branco a equipe do CAP Paulo Gissoni, que atuou no sub-18. As argentinas também enfrentaram as meninas do Colégio Triângulo e venceram as duas partidas (4×3 e 4×2). Já contra a forte equipe da Universidade Castelo Branco, que conta com atletas jogando o Campeonato Brasileiro feminino, as argentinas não tiveram chance e perderam por 9 x 1, primeira vitória de uma equipe feminina brasileira contra uma argentina.

O troco veio no campo olímpico na quinta-feira. Depois de uma manhã cheia de jogos, as hermanas derrotaram na decisão o time da Universidade Castelo Branco por 3 x 1, conquistando o título do Desafio Social. O Hóquei Brasil teve o prazer de participar da entrega das medalhas nesse momento histórico. Mais que partidas, o evento mostrou que está começando uma nova etapa de utilização do legado olímpico para o hóquei e que a parceria com o Exército pode render muitos frutos para o esporte.

WhatsApp Image 2017-05-05 at 07.18.15.jpeg

Hóquei de volta a Deodoro!

A presidente da Liga Social de Neuquén, Gloria Manriquez, agradeceu a boa recepção das equipes do Rio de Janeiro e garantiu uma nova visita em dezembro das seleções masculinas e femininas argentinas da Liga Social, aproveitando ainda para convidar as brasileiras para o Campeonato Pan-Americano de Ligas Sociais em 2018, com sede na Argentina e participação confirmada das seleções do México, Chile, Colômbia, Haiti, Honduras e Argentina.

WhatsApp Image 2017-05-05 at 07.18.13.jpeg

O professor Eduardo Righi com a presidente da Liga Social de Neuquén

tati.jpg

Tati, da UCB, com atleta do Charitos, da Argentina

Seleção feminina tem novidades na convocação

selecao feminina

Saiu a lista das 18 atletas convocadas para a disputa da 1ª Rodada da Liga Mundial, que também vai servir como o Campeonato Sul-Americano de Hóquei, em outubro, no Peru. Em janeiro, o técnico argentino Ignacio Lopez tinha convocado 31 atletas para participar dos treinamentos inciais. A curiosidade é que duas atletas não estavam nessa relação inicial e apareceram na convocação: Daniella Lobo e Desiree Scherf. Os times brasileiros com mais atletas convocadas são Desterro e Carioca, com três jogadoras cada. Florianópolis e Londrina têm uma atleta cada. 10 jogadoras atuam em outros países. Entre as ausências na lista estão Patrícia Boos, ex-capitã da seleção e que atuava no hóquei francês, Nathalia Marques, capitã do título brasileiro do Carioca, Bruna Ferraro, que joga na Argentina, e as vencedoras do Prêmio Brasil Olímpico Laís Bernardino e Juliana Gelbcke, a Juba.

Veja a relação de convocadas pelo técnico Ignacio Lopez:

Carioca: Carol Bonjour, Tatiana Noronha e Úrsula Santos.

Florianópolis: Jacqueline Peyloubet

Desterro: Alexia Sant’Anna, Mayara Fedrizzi e Thalita Cabral

Londrina: Andrea Bernardes (GK)

Hurley (Holanda): Eveline Beljon e Claire Hillbrink

AHC Velp (Holanda): Karolina Sluis

Holanda: Teska Tuijt (GK)

Universitario La Plata (Argentina): Luciana Peralta

Regatas Bella Vista (Argentina): Anita Rodriguez

Banfield (Argentina): Wanda Olivares

Old Christians (Uruguai): Helena Betolaza

Chile: Daniella Lobo

Desiree Scherf

Goleira da seleção conduz a tocha olímpica

deia4.jpg

Andrea nas ruas de Londrina

A goleira Andrea Bernardes, da seleção brasileira e do Londrina HC, foi a segunda atleta do hóquei a conduzir a tocha olímpica no revezamento pelo país. A atleta gaúcha, que começou a carreira no Desterro, levou o símbolo dos Jogos pelas ruas da cidade paranaense tendo ao lado Veronica Covarrubias, guardiã da tocha e primeira atleta de hóquei a carregar a chama olímpica. Andrea foi campeã italiana quando atuava no país e tem várias competições importantes pela seleção no currículo, como os Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio de Janeiro. O melhor resultado na carreira é o título do Pan American Challenge em 2015.

deia2

Veronica Covarrubias e Andrea

deia3.jpg

Andrea: alegria por conduzir a tocha olímpica

Floripenta

fernando valdes.jpg

O técnico Fernando Valdés dá instruções às meninas do Floripa

2010, 2011, 2012, 2015 e 2016. Lembra a época de Michael Schumacher no auge na Fórmula 1, com cinco títulos seguidos entre 2000 e 2004, com a exceção de que o Desterro levantou o troféu em 2014. Com o título deste domingo em Londrina, no Paraná, o Florianópolis soma 5 títulos em 6 edições do Campeonato Brasileiro Indoor feminino. As meninas comandadas por Fernando Valdés fizeram 3 x 0 sobre o Macau e comemoraram o pentacampeonato. Além do vice-campeonato, as meninas do Macau tiveram Ágata Barradas sendo escolhida a melhor jogadora da competição e Bella Martins como melhor goleira. Ainda nas premiações individuais, Vicky Fontana, do Interlagos, foi a artilheira da competição com 11 gols.

indoor fem.jpg

Todas as equipes reunidas em Londrina

A medalha de bronze ficou com o Desterro, que empatou em 2 x 2 com o Carioca no tempo normal e venceu na disputa de shoot-outs. A mesma história se repetiu na decisão do 5º lugar entre Interlagos x Londrina, com 2 x 2 no placar e as paulistas vencendo no shoot-out. A AABB, do Rio Grande do Sul, ficou com a 7ª posição no torneio.

floripenta.jpg

Meninas comemoram o pentacampeonato

Seleção brasileira feminina fora do Pan-Americano Junior

PAHF

A CBHG não inscreveu a seleção feminina na disputa do Campeonato Pan-Americano Junior, que vai ser disputado de 29 de março a 10 de abril em Tacarigua, Trinidad & Tobago. 11 seleções confirmaram participação no torneio: Argentina, Barbados, Bermudas, Canadá, Chile, Guiana, México, Trinidad & Tobago, Estados Unidos, Uruguai e Venezuela. Nós enviamos e-mail para a CBHG perguntando os motivos da não-participação na competição, mas até o momento nenhum dirigente respondeu. Perguntamos também se a seleção masculina participaria do Pan-Americano Junior em Toronto, no Canadá, em maio, mas também não tivemos resposta. Continuaremos aguardando e o espaço do HB vai estar aberto.

Carioca vence amistoso contra americanas

 

O Carioca – atual campeão brasileiro feminino – venceu por 9 x 1 a equipe da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, em amistoso disputado na manhã desta segunda-feira no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro. As norte-americanas viajaram ao Brasil com 13 atletas e agora se preparam para enfrentar o Castelo Waves no próximo dia 30, às 9h da manhã, no Alto da Boa Vista.

hopkins5

Lance da partida no Aterro do Flamengo

hopkins6

Carioca venceu o amistoso por 7 x 1

hopkins4

Atletas da Johns Hopkins no intervalo

hopkins3

As meninas do Carioca

hopkins2

Atletas das duas equipes juntas

 

 

 

Felinas conquistam título inédito

carioca  campeao fem

Campeãs! foto: Alba Piazza / CBHG

Foi um fim de semana de novidades em Porto Alegre. Pela primeira vez, nenhuma equipe catarinense estaria na final do Campeonato Brasileiro feminino, disputado desde 2007 e com decisões entre Desterro e Florianópolis. 2015 foi o ano das meninas do Carioca, que vinham batendo na trave ao longo dos anos. Com uma estratégia especial para o jogo decisivo, o time do Rio de Janeiro parou as irmãs argentinas Delfina e Vicky Granatto, estrelas do novato Londrina, que disputava a primeira competição oficial. Mas vamos ver como começou essa história, no sábado.

londrina meninas.jpg

Londrna ficou com o vice no torneio de estreia

No primeiro jogo do dia, o Desterro venceu a AABB/SL com facilidade por 3 x 0 e se garantiu na disputa do bronze. Na partida seguinte, o Londrina fez 4 x 2 sobre o Florianópolis e carimbou o passaporte para a grande decisão no domingo. No terceiro jogo do dia, o Carioca confirmou o favoritismo e goleou o Macau por 5 x 0, terminando a 1ª fase na liderança, com 13 pontos e superando o Londrina no saldo de gols.

aabb finco

O técnico Daniel Finco com as meninas da AABB/SL

Chegou o domingo. Como aperitivo, o Macau fez 4 x 0 na AABB/SL e terminou a competição em 5º lugar. Já o time gaúcho, estreante em competições nacionais adultas, terminou na lanterna e sem ter marcado gols. Na disputa do bronze, o clássico que foi a final nos 8 anos anteriores. E dessa vez deu Desterro, que venceu por 1 x 0. Pela primeira vez, as meninas do Floripa ficam sem o benefício do Bolsa Atleta no feminino.

macau feminino1

Macau ficou com o 5º lugar no Brasileirão

A decisão do título, foi, como esperado, muito disputada. O Carioca fez uma marcação especial sobre as irmãs Defina e Vicky Granatto, destaques do Londrina, e o time paranaense não conseguiu marcar gols. Já o Carioca marcou com Vivi, numa bola alta que sobrou na área, e a capitã Nath Marques levantou o troféu inédito para o clube no feminino. Ano que vem, já nos campos olímpicos, o Brasileirão deve ser ainda mais emocionante. Quem levantará o primeiro troféu no campo azul?

Carioca comemora

Capitã Nath Marques levanta troféu inédito