Macau conquista título inédito

Macau conquistou o título inédito

Em 2010, um pênalti tirou a chance do Macau conquistar o título brasileiro 7 a side contra o Florianópolis. Quis o destino (ou melhor, a qualidade dos times), que eles repetissem a decisão este ano. E que o título fosse definido em uma cobrança de pênalti. O camisa 1 Bruno Sousa mostrou sangue frio na cobrança e marcou o gol da vitória sobre o Florianópolis B, que tinha jogadores como Lua e Sorriso. Foi o primeiro título nacional dos paulistas, que vinham evoluindo a cada ano. Uma conquista mais que merecida.

Bruno Sousa marcou o gol do título

Na decisão do 3º lugar, Matheus fez dois gols e deu a vitória por 2 a 1 sobre o Florianópolis A. Foi a primeira medalha do time do RJ em competições 7 a side. Na disputa do 5º lugar, uma decisão caseira. O Desterro B superou o Desterro A por 1 a 0. O Germânia ficou com a 7ª posição no campeonato ao vencer o Rio Hóquei nos pênaltis. No tempo normal, as equipes ficaram no 2 a 2.
Números do campeonato:
Melhor ataque: Carioca – 9 gols
Melhor defesa: Desterro A – 1 gol
Maior goleada: Carioca 6 x 0 Rio Hóquei

Tabela de pontos do 7 a side (clique para ampliar).

 

A tabela de jogos do 7 a side corrigida

Matias também está fora do 7 a side

A equipe do Matias, de São José dos Campos, também desistiu de participar do Campeonato Brasileiro 7 a side.  Ainda não sabemos o que motivou a decisão do time paulista. Com isso, a competição agora tem 8 equipes, com 4 em cada grupo.

Grupo A: Florianópolis A, Macau, Germânia e Desterro B

Grupo B: Carioca, Desterro A, Rio Hóquei e Florianópolis B.

Deodoro desiste do 7 a side

O Deodoro CSSVM, do Rio de Janeiro, desistiu de participar do Campeonato Brasileiro 7 a side, que vai ser disputado neste fim de semana no Rio de Janeiro. Com a não participação das equipes A e B do clube, a competição agora vai ter 9  times e toda a tabela foi alterada. Veja como ficaram as alterações:

A nova tabela do 7 a side

Rio Hóquei volta aos gramados

O time na Copa da Amizade em 2009

Depois de 2 anos, uma das equipes mais tradicionais do país volta à ativa no Campeonato Brasileiro 7 a side. A última competição disputada pelo Rio Hóquei tinha sido a Copa da Amizade, em 2009. Naquele ano a equipe jogou três vezes e sofreu três goleadas: 1×4 contra o Germânia, 0x8 para o Desterro e a maior, um 0x11 para o Florianópolis. O único gol na competição foi marcado por Léo DJ, que joga hoje no Carioca. O time verde e branco treina todas as quintas-feiras na quadra do clube Germânia, na zona sul do Rio de Janeiro, e tem como título mais expressivo o Festival de Verão de 1995, disputado em uma arena montada na praia de Copacabana.

Para o torneio deste fim de semana, o Rio Hóquei inscreveu 14 jogadores, a maioria com bastante experiência no esporte, como os ex-integrantes da seleção brasileira Sacha (indoor) e o goleiro Henrique Bertulani. A equipe conta ainda com dois atletas emprestados do Palestra (SP): Fernando Miyazaki e a jovem revelação Hamudi. O time é treinado pelo chileno Claudio Cuevas, responsável por descobrir vários talentos no hóquei carioca. Veja a relação completa para o Brasileiro 7 a side: Henrique Bertulani, Rene Martinez, Matias Westphal, Carlos Augusto Diaz, Bruno Moura da Silva, Rafael Nunes, Luiz Eduardo Sauerbronn, Andres M. Westphal, Pablo Sartori, Marc Ehlers, Mohamed Omar Orra, Alexandre Steinhäuser, Fernando Rejani Miyazaki e Alexandre Benkendorf.

Deodoro CSSVM barrado em “casa”

Alice e Ursula, do Deodoro CSSVM

O time que tem o nome do bairro onde estão os únicos campos de hóquei do país está proibido de usar o local. A decisão foi anunciada em um ofício emitido pela CBHG no último dia 17. O documento foi encaminhado ao presidente da FHERJ, Carlos Augusto Diaz, que informou o clube carioca. De acordo com o texto, assinado pelo gerente-geral da CBHG, Eduardo Leonardo, “a medida se deve ao comportamento desrespeitoso de seu treinador, Eduardo Righi, perante a (sic) essa entidade e seus membros e pelo fato de o mesmo não respeitar as vias de contato legais propostas pela CBHG e pela FHERJ”. De acordo com o apurado pelo Hóquei Brasil, o desentendimento começou quando as atletas Alice e Úrsula, destaques do time, foram pré-convocadas para o Pan-Americano Challenger, que vai ser disputado em julho no Rio de Janeiro. Informados da convocação, os responsáveis pelo Deodoro CSSVM solicitaram à CBHG o repasse da programação para o torneio, de maneira a conseguir a liberação das jogadoras junto ao trabalho (no caso da Úrsula) e do Colégio de aplicação Dr. Paulo Gissoni, onde estuda Alice. O clube teria pedido detalhes de dias e horários e detalhes completos dos treinos, e a CBHG considera que isso extrapola o âmbito de ingerência do clube.

O ofício enviado pela CBHG

A FHERJ tentou conciliar o interesse das duas partes, negociando a liberação dos atletas para que cumprissem compromissos particulares, mas o Deodoro CSSVM não teria informado as datas de tais compromissos. Diante do impasse, a CBHG decidiu pela desconvocação das atletas Alice e Ursula do Pan-Americano Challenger. Depois da decisão, o técnico do Deodoro CSSVM teria se dirigido de maneira desrespeitosa à CBHG, que proibiu os treinos da equipe no Centro de Hóquei de Deodoro. Com a proibição de utilização do campo, os maiores prejudicados são os atletas, que ficam sem as condições ideais de treinamento para as competições na grama.

Foi mal, Desterro!

Pessoal, aqui vai um pedido de desculpas ao pessoal do Desterro. Apesar do pouco tempo disponível, sempre tento manter o site atualizado com as notícias do hóquei aqui no país. Infelizmente algumas vezes acontecem erros, como na última matéria sobre o 7a  side. Alertado pelo Thiago Pacheco, vi que esqueci de falar do título conquistado pelo Desterro em 2007, na primeira edição disputada. Além disso, coloquei um a mais para o Florianópolis, em 2008, quando nem houve torneio. Foi mal mesmo, pessoal! as alterações já foram feitas na matéria original. E vamos lá, tentando sempre fazer o melhor para vocês!