Desafio Brasil x Argentina de Beach Hockey

IMG-20160309-WA0011.jpg

Times da Universidade Castelo Branco e Carlos Paz, com a brasileira Yasmin

A famosa praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, voltou a ser cenário de um torneio de beach hockey. No domingo (6), as hermanas do Carlos Paz, de Córdoba, se uniram a atletas de colégios cariocas numa competição marcada pelo nível competitivo e amizade. Os times foram misturados, com as argentinas formando equipes com jogadores do Colégio Triângulo, Colégio Percepção, Sistema Elite de Ensino e Universidade Castelo Branco. Na decisão, os times do Carlos Paz e da UCB empataram em 1 x 1 e a partida foi para a disputa de shoot-outs. As argentinas levaram a melhor e ficaram com o título. O bronze ficou com o Sistema Elite. O Carlos Paz, que encerrou nesse evento a agenda esportiva no Rio, ainda fez a doação de equipamentos de jogo para os adolescentes do projeto Deodoro Esportes.

IMG-20160309-WA0016.jpg

Leandra durante jogo em Copacabana

IMG-20160309-WA0019

Sistema Elite e Colégio Percepção

IMG-20160309-WA0010.jpg

Troca de presentes

IMG-20160309-WA0017.jpg

Troca de presentes entre brasileiras e argentinas

IMG-20160309-WA0020.jpg

Todas reunidas!

Sábado de Beach Hockey no Rio de Janeiro

beach.jpg

No primeiro evento de hóquei no país esse ano, a Castelo Branco ficou com o título do Desafio de Beach Hockey neste sábado na Praia do Leme, no Rio de Janeiro. Seis times entraram em campo, mesclando atletas cariocas e as americanas da Universidade Johns Hopkins. Participaram Castelo Waves, Castelo Branco, Percepção, Rosa da Fonseca, Sistema Elite e Johns Hopkins. Primeiros colocados na fase de grupos, Castelo Branco e Percepção se enfrentaram na final, com o time que representou a universidade ficando com a 1ª colocação ao derrotar o Percepção. A medalha de bronze ficou com o Castelo Waves, que derrotou o Johns Hopkins. Medalhas e troféus foram entregues aos primeiros colocados na competição, que abriu o calendário de competições dos Waves em 2016.

IMG_4455.JPG

Brasileiras e americanas reunidas

IMG_4362.JPG

Paisagem da Pedra do Leme ao fundo

IMG_4369.JPG

Time do Johns Hopkins

IMG_4403.JPG

Meninas do Percepção

IMG_4443.JPG

Castelo Waves  ficou com a medalha de bronze

IMG_4354.JPG

Lance de Castelo Branco x Castelo Waves

IMG_4381.JPG

Hopkins x Sistema Elite

IMG_4352.JPG

Thais em ação pelo Castelo Branco

IMG_4450.JPG

Brasil volta a campo neste sábado

A seleção brasileira faz neste sábado (4) o segundo amistoso durante o período de treinamentos na Europa. Depois de perder por 5 x 2 para o Cookstown (dois gols de Lucas Paixão), a equipe treinada por Cláudio Rocha enfrenta o Mossley, último colocado na 1ª divisão da Irlanda do Norte, com apenas uma vitória em 13 jogos. Contra um adversário mais fraco que na estreia, a expectativa é de um resultado melhor para  a seleção. A partida vai ser disputada às 8h da manhã pelo horário de Brasília.

MOSSLEY

Viagem adiada

BANDEIRA

Pelo menos até a próxima quarta-feira (18) a seleção brasileira masculina não vai embarcar para os Estados Unidos. O motivo seria a falta de homologação do edital de compra de passagens, o que impede a compra dos bilhetes. Com isso, foram cancelados os amistosos contra os Estados Unidos, que aconteceriam no Centro Olímpico de Treinamento em Chula Vista, na Califórnia. A informação foi divulgada no site do USA Hockey (veja aqui), mas a CBHG não emitiu nenhum comunicado. Veja a lista de atletas que embarca para o período de treinamentos nos Estados Unidos:

Florianópolis: Bruno Paes, Fábio Daux, Lucas Paixão, Luis Felipe Réus (Lua), Marcos Pasin (Coyote) e Rafael Vargas

Carioca: Anderson Silva (Zanza), André Patrocínio (Mesquita), Bruno Mendonça, Chris McPherson, Matheus Borges, Thiago Dantas (Taffa)

Desterro: Eduardo Martins Jr., Paulo Jr., Lucas Voltolini e Gustavo Eger

Germânia: Estevão Buzatto e Rodrigo Silva

Laren (Holanda): Yuri van der Heijden

Groningen (Holanda): Patrick van der Heijden

Oranje Zwart (Holanda): Paul Duncker

Hattem (Holanda): Bruno Sousa

Macau: Anderson Alicio

A base de tudo – EDITORIAL

Como ficam as escolas e projetos?

Como ficam as escolas e projetos?

A CBHG divulgou comunicado sobre a “criação oficial” (na verdade um retorno após 2012) das seleções de base sub-21. Alguns pontos me chamaram a atenção e gostaria de dividir com vocês. Primeiro ponto: a CBHG delega às federações, e por consequência aos seus clubes a tarefa de indicar os atletas. Penso que a entidade deveria ter alguém responsável por isso, observando os jogadores nas competições nacionais e regionais, e essa pessoa deveria convidar os jogadores em destaque. Isso acontece no handebol, com o técnico dinamarquês Morten Soubak, que viaja o país para assistir a competições de base.

Outra coisa: nossos clubes notadamente não têm trabalhos de base em sua grande maioria. Vejamos a tabela do Campeonato Brasileiro de base de 2014. tínhamos apenas Desterro e Germânia como clubes no masculino e no feminino, nenhum. Então o que vai acontecer com todos os outros atletas a partir de 15 anos, ainda em formação? vão ser ignorados por não ter vínculo com um clube? ou vão ser obrigados abandonar suas escolas e projetos sociais, com amigos e professores, para treinar em um clube com adultos? e os projetos que não estão geograficamente próximos a nenhum clube, como Vila Nova (Igrejinha/RS) e Werka (Paraná)?

Chama atenção também o pequeno prazo para um tema tão importante: a CBHG deu apenas 14 dias (incluindo o longo feriado de Carnaval) para as federações indicarem os atletas que vão ser selecionados para treinar. Não ficou claro também o limite dessa lista. As federações podem indicar quantos atletas quiserem? todos vão ser chamados para treinar?  o grupo vai treinar em conjunto no Rio de Janeiro?

Também não ficou clara a situação dos atletas que moram no exterior. Como vai ser feita a seleção deles?

Hoje penamos para tentar montar uma seleção sub-21 e não temos nada no horizonte em relação ao sub-15 e sub-18. Se o trabalho sério com meninos e meninas tivesse começado há 11 anos, quando começamos a receber recursos públicos, a situação poderia estar diferente. Vamos esperar que as dúvidas sejam esclarecidas, já que transparência (desculpem o trocadilho infame) é a base de tudo.

Verão carioca com hóquei na praia

Alice em ação pelo CAP

Alice em ação pelo Castelo Branco

Sol, praia e…hóquei! uma combinação perfeita para o Verão 2014 no Rio de Janeiro. É o Circuito Brasileiro Beach Hockey, que estreou no fim do ano passado e vai agitar as areias da Cidade Maravilhosa. O pontapé inicial foi no dia 19 de dezembro, na Praia do Pepê, na Barra da Tijuca. Em vez do surf, que rola tradicionalmente por lá, os frequentadores tiverama chance de ver tacos e bolas em ação.

Rapha Aguiar, do Germania, tenta controlar a bola na 1ª etapa

Rapha Aguiar, do Germania, tenta controlar a bola na 1ª etapa

O evento é uma iniciativa do argentino Eduardo Righi e tem apoio da Universidade Castelo Branco. Por enquanto a competição tem três categorias: sub-17 e sub-21 femininos e masculino livre, com 9 equipes no total. O esquema de pontuação prevê 1.000 pontos para cada apresentação do time e 100 pontos por gol marcado. Uma das novidades na 1ª etapa foi a participação do Madureira E.C, tradicional clube de futebol da zona norte carioca, o que pode abrir portas para iniciativas parecidas. Os atletas usaram uma versão menor da bola oficial da Copa do Mundo de 2014, a “Brazuca”. A próxima etapa da competição deve ter novas equipes e vai acontecer na Praia do Perigoso, na zona oeste do Rio.

As meninas do Castelo Branco

As meninas do Castelo Branco

Veja a pontuação na 1ª etapa:

Sub-21 Feminino

Universidade Castelo Branco: 2.300 Pontos
Colégio Percepção: 2.200 pontos
Colégio Triangulo: 2.100 pontos
Madureira E.C: 2.000 pontos

Sub-17 Feminino

Colégio De Aplicação Paulo Gissoni: 1.100 pontos
Escola Municipal Rosa Da Fonseca : 1.000 pontos

Masculino Livre

Clube Germânia: 2.400 pontos
Universidade Castelo Branco: 2.200 Pontos
Colégio Triangulo: 2.000 Pontos

BH1

BH3

Hóquei no Viradão Esportivo

Pela primeira vez o hóquei vai marcar presença no Viradão Esportivo, o maior evento de mobilização na área de esportes em todo o país. E ainda vai ser possível jogar em quadra ou na praia. Na primeira edição, em 2009, mais de 16 milhões de pessoas estiveram envolvidas em todos os estados brasileiros, com um total de 33 horas seguidas de atividades esportivas.

A Confederação Brasileira de Hóquei (CBHG) vai promover demonstrações em três locais do Rio de Janeiro no sábado (13), visando divulgar a modalidade na cidade. A primeira parada é o Piscinão de Ramos de 12h às 13h. Em seguida os jogadores vão para a Zona Norte, mais especificamente o Viaduto de Madureira, de 17h às 18h. E por fim, caem na noite carioca com uma demonstração em plena madrugada no bairro boêmio da Lapa, de 2h20 às 3h20.

No domingo é dia de acordar cedo para jogar Beach Hockey em Copacabana. Vamos aproveitar e comemorar 1 ano do início do esporte no país, completados no mês de setembro. Vamos nos reunir no domingo (14) a partir de 9h da manhã no Posto 4 de Copacabana, na altura da rua Santa Clara. Temos tacos para quem não tiver o seu e com certeza a expectativa é de muita diversão e bons jogos.

Vamos contar com jogadores que conheceram o hóquei na praia e também o pessoal que joga na grama, além de atletas estrangeiros. Traga sua garrafinha de água, frutas e barras de cereais para comer e o mais importante, muita disposição para jogar. Esperamos todos lá!